A reinvenção da contabilidade

Consultoria Técnica e Investigativa em Apoio a Litígios

February 13, 2013

O prazo para que as pequenas e médias empresas brasileiras (PME) adotem o International Financial Reporting Standards (IFRS), conjunto de normas internacionais de contabilidade, publicado e revisado pelo International Accounting Standards Board (IASB), termina em janeiro de 2013. Mesmo em vigor no País desde janeiro de 2010, muitas ainda não se adequaram às regras, que são regulamentadas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

O modelo exige que sejam adaptadas ao padrão internacional todas as demonstrações financeiras das companhias brasileiras e órgãos da administração pública, como publicação de balanços, fluxo de caixa, resultados, notas explicativas, entre outros. O gerente de negócios da consultoria FTI Consulting, Luís Fagundes, ressalta que as pequenas e médias empresas também são obrigadas a se adequarem ao IFRS, através de um padrão específico, chamado de IFRSPME, mais simplificado em relação ao exigido às grandes empresas, embora os conceitos sejam os mesmos.

O fato de muitas empresas ainda não estarem de acordo com a nova norma contábil pode ser explicado, segundo Fagundes, pela falta de uma fiscalização mais efetiva, inclusive por parte da CFC, que não possui esse poder junto às organizações. Para ele, porém, esse é um processo natural, consequência de uma fase de transição. “Os órgãos reguladores estão, de certa forma, complacentes com possíveis atrasos nas entregas das demonstrações financeiras em IFRS, mas o cenário deverá ser mais rígido quando a Receita Federal definir novas regras fiscais para apuração de lucros e impostos através da contabilidade pelo novo padrão”, diz.

Source: Gestão & Negócios


More Info

Compartilhar esta página